Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais
Uma História Centenária - por Jorge Lasmar

APRESENTAÇÃO

O centenário do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais foi devidamente registrado. Difícil será encontrar outra instituição que tenha tido esse privilégio, o de ter uma sua comemoração registrada com a riqueza de detalhes que só um historiador com a competência de um Jorge Lasmar sabe fazer. Essa reportagem, como a classifica o autor, permitirá que muitos estudiosos futuros possam dela se valer para conhecer o que se passou em 15 de agosto de 2007. Isso não é tudo.
            É difícil imaginar o denodo e o carinho que teve o autor ao apresentar todos os convites e programas que compuseram as comemorações. A missa na Catedral da Boa Virgem, celebrada por Dom Walmor Oliveira de Azevedo. Fotografias da cerimônia para ilustrar o evento. Todos os discursos da cerimônia oficial transcritos. O lançamento da Medalha Comemorativa pela Casa da Moeda do Brasil. Excursões às cidade históricas. O I Congresso dos Institutos Históricos e Geográficos. A posse da nova diretoria, liderada por Fernando Brandão. Os discursos do Presidente Baggio e do Vice-Governador Antônio Anastásia. Entrevistas com associados sobre o evento e o papel do Instituto no cenário da cultura mineira. A cópia da ata da 1ª reunião na atual sede do Instituto, em 15 de agosto de 1967. A homenagem da Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais, com o roteiro e discursos em sua íntegra. Tudo com os detalhes que cada evento necessitava. Nem mais, nem menos.
O livro apresenta a biografia de seus presidentes, de João Pinheiro da Silva a Fernando Antônio Xavier Brandão. Todos eles estão retratados com os seus traços característicos. Além da fotografia que ilustra, o texto retrata, também, o íntimo de cada um, com as suas personalidades e qualidades, pois, não foi por acaso que ocuparam tão distinguidos cargos.
Analisa e resgata a personalidade do Cel. Júlio César Pinto Coelho, um dos nossos patronos, sócio benemérito do Clube Floriano Peixoto, entidade embrião de nosso Instituto. Era pai do presidente Copérnico Pìnto Coelho, também um dos baluartes do Instituto, sem cuja dedicação, a Instituição poderia ter desaparecido.
Para isto, baseou sobretudo no estudo feito pelo Presidente Emérito Celso Falabella de Figueiredo, outro notável historiador, que tanto fez pelo Instituto e que ainda é um ícone e conselheiro de todos o que o conhecem.
Parabéns ao Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais em seu centenário.
Parabéns ao consócio e querido amigo Jorge Lasmar pela felicidade com que se houve ao escrever esta peça histórica.

Wagner Colombarolli, cadeira nº 53
Patrono Joaquim Cândido da Costa Sena      

 

Voltar